segunda-feira, 21 de março de 2011

História - Os Irmãos Maristas e o escotismo gaúcho



Em 2007 o Movimento Escoteiro completou 100 anos de existência e muitas foram as pessoas e entidades que contribuíram para que esse movimento permanecesse sempre ativo e proporcionando à crianças e jovens uma experiência que os acompanharia para toda a vida. É possível que os mais jovens desconheçam, porém os mais antigos não esquecem o grande envolvimento que os Irmãos Maristas tiveram com o Movimento Escoteiro.
Durante muitos anos os Irmãos adotaram o Escotismo como atividade complementar aos conteúdos ministrados em sala de aula, fundando e chefiando Alcatéias de Lobinhos (7 à 10 anos de idade), Tropas de Escoteiros (11 à 14 anos de idade), Tropas de Seniores (15 à 17 anos de idade) e Clãs de Pioneiros (18 à 21 anos de idade), em diversas Escolas Maristas do Brasil. Os Valores contidos na Lei e Promessa Escoteiras, as atividades ao ar livre, o trabalho em equipe e o serviço à comunidade são excelentes ferramentas para a formação do caráter e de cidadania.
Em 2004 o Irmão Gelásio referindo-se ao Irmão Quirino, registrou o seguinte: “Reconhecemos ambos, ele e eu, no Movimento de Baden-Powel sua extraordinária força educativa que o Irmão Marista não pode ignorar e deve saber explorar”. Há dois anos e meio estamos realizando um trabalho de resgate da história desses Irmãos abnegados e dos Grupos de Escoteiros fundados por eles, especialmente no Rio Grande do Sul. Tem sido um grande desafio, pois a maioria destes Grupos já não existe mais e muitos dos Irmãos são falecidos.
O registro mais antigo que possuímos da existência de um Grupo Escoteiro associado a uma Escola Marista é da Tropa Escoteira fundada em 01 de março de 1925 na Escola de Artes e Ofícios, no município de Santa Maria. No Rio Grande do Sul o Escotismo teve momentos de grande desenvolvimento na Congregação. Durante a década de 1940 foram fundados diversos Grupos Escoteiros em Escolas Maristas, tendo à frente pessoas como o Irmão Gelásio (Oscar Mombach), Irmão Diogo (Alexandre Câmpara) e Irmão Nilo Celestino (Nilo Clemente Tonet). Continuou florescendo nas Escolas Maristas durante a década de 1950 com os Irmãos Lauro Neuvald, Ignácio Gregory, Luiz Bacchi, Dionysio Tonial, Selvino Tolotti, Terenciano, Calixto entre outros, atingindo um auge nas décadas de 1960 e 1970, quando o caminho aberto por aqueles corajosos pioneiros contou com a participação dos Irmãos Amorin, Casildo Klein, Dante Brugalli, Dealmo Valentin Lunkes, Elto Puhl, Erno Christ, Fábio Pauletto, Gava, Jair Fischer de Almeida, Laurindo Viacelli, Mário Puhl, Ruben Korb, Sireno Conti, entre muitos outros.
Pode-se dizer que entre as décadas de 1960 e 1970 a maioria das Escolas Maristas possuíam Grupos Escoteiros. Grandes eventos do Escotismo Mundial, como o VI AIP, Acampamento Internacional de Patrulhas, realizado em 1963, no Parque Saint’ Hilaire, em Viamão, I Jamboree Panamericano, realizado em 1965, na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro, o AIP – 78, Acampamento Internacional de Patrulhas, realizado em 1978, no Parque Saint’ Hilaire, em Viamão e o IV Jamboree Panamericano, realizado em 1981, também neste parque, contaram com a participação de diversos Grupos Escoteiros de Escolas Maristas.
Em janeiro de 1962, no Parque Saint’ Hilaire, ocorreu um Curso para Chefe de Escoteiros, especialmente realizado para Irmãos Maristas, fato inédito e antes inimaginável na Família Marista. Em janeiro de 1967, ocorre em Maceió – AL um encontro nacional de Irmãos Maristas Chefes Escoteiros. De 4 a 10 de janeiro de 1968, na fazenda Guajuviras, município de Canoas, ocorre a primeira grande confraternização de Escoteiros Maristas – Maristaba – sob o lema “Servir – Sorrir”. O nome vem da junção dos termos MARISTA + TABA (taba = aldeia em Tupi-Guarani), ou seja ALDEIA MARISTA. Esta atividade teve como idealizadores e organizadores os Irmãos Fábio Pauletto e Mário Ervino Puhl e contou com a participação de diversos grupos escoteiros de escolas Maristas, entre eles Tupã-Ci, Tupandi, Cariris, Pio XII, Pindorama, Guaracy, Champagnat, Tocantins, J. Kennedy e Tangará.
Deste período identificamos até o momento a existência dos seguintes Grupos Escoteiros (entre parênteses indicamos o nome religioso dos Irmãos Maristas):
No Rio Grande do Sul:- Tropa Escoteira – fundada em 1/3/1925 na Escola Artes e Ofícios, Santa Maria, sob a chefia do Capitão Alfredo Mariante. O Irmão José Otão, em entrevista realizada para um jornal escoteiro em 1964, declara ter acompanhado desde 1927 as atividades desta Tropa Escoteira.- Tupã-Ci (004/RS) – fundado em 4/11/1941 no Colégio Marista Rosário, em Porto Alegre pelo Professor Malomar Lund Edelweiss. Contou com a participação dos Irmãos Oscar Mombach (Irmão Gelásio Maria), Quirino Piccoli, Paschoal Pasa (Irmão Emílio Pascal), Ignácio Gregory (Irmão José Hermeto), Selvino Tolotti (Irmão Delfino Marcos), Luiz Santini (Irmão Tarcisio Maximo), Domingos Gabriel Michelon (Irmão Terenciano), Erno José Christ (Irmão Pedro Fridolino), Idanyr Freiner (Irmão Gualberto), Silos Antônio Crema, Antônio Camilotto (Irmão Romano Antônio), Guilherme Caumo (Irmão Cândido Tarcísio), Germano Primo Meneguzzi e Jair Fischer De Almeida. Existe até os dias de hoje.- Tupandi (104/RS) – fundado em 4/10/1946 no Colégio Marista São Pedro, em Porto Alegre pelos Irmãos Alexandre Câmpara (Irmão Diogo) e Nilo Clemente Tonet (Irmão Nilo Celestino), funcionou até 1953. Reaberto em 15/8/1965 pelo Irmão Fábio Pauletto, também contou com a participação dos Irmãos Gothardo Pozzebon e Sérgio Martini, existiu até 1992.- Pindorama (075/RS) – fundado em 7/10/1942 no Colégio Marista Santa Maria. Funcionou nas décadas de 40 e 50, após foi reaberto em 13/8/1965 no mesmo Colégio pelos Irmãos Ervin Lenzi, José Stein, Adelar Tedesco (Irmão Amélio), Beno Alberi Fiúza e Luiz Carlos Krummenauer Rocha.- Cariris (083/RS) - funcionou nas décadas de 40 e 50 sob a orientação do Irmão Mário Ghinzelli (Irmão Urbano Mário). Após foi reaberto em 21/4/1965 no Colégio Marista Conceição (Passo Fundo – RS), fundado pelo Irmão Sireno Romano Conti, tendo a participação do Irmão Dealmo Valentin Lunkes.- Minuanos – funcionou de 1948 até aproximadamente 1961 no Colégio São Jacó, Novo Hamburgo, fundado pelo Irmão Valentim Luiz Bacchi (Irmão Luiz Augusto), tendo a participação do Irmão Lauro José Neuvald (Irmão Lauro Felipe).- Tupanciguara (047/RS) – fundado em 03/9/1952 na Escola Artes e Ofícios, Santa Maria, pelos Irmãos Valentim Luiz Bacchi (Irmão Luiz Augusto) e Dorval D´Ávila Vieira (Irmão Bento Labre). Existe até os dias de hoje.- Bruno de Andrade – fundado em 1953 no Colégio São João Batista, Montenegro pelo Irmão Irmão Arlindo Valentin Schneider (Irmão Calixto Nilo).- Coroados – funcionou entre 1955 e 1957 no Colégio Marista Pio XII, Novo Hamburgo, com o Irmão Armandino (Dionysio Tonial).- Inhaí (074/RS) – fundado em 8/6/1955, funcionou até meados da década de 1970 no Colégio Cristo Rei, Estrela, fundado pelo Irmão Lauro José Neuvald (Irmão Lauro Felipe), contou também com a participação dos Irmãos Laurindo Viacelli (Irmão Lino Pedro), Mário Ervino Puhl, Elto Aloísio Puhl e Arlindo Valentin Schneider (Irmão Calixto Nilo).- Piratini (050/RS) – funcionou no Ginásio São Gabriel, em São Gabriel, nas décadas de 1950 e 1960. Teve a participação do Irmão Alberto José Michelon (Irmão Sinésio).- Abaeté – funcionou no Colégio Marista Maria Imaculada, Canela, fundado pelo Irmão Domingos Gabriel Michelon (Irmão Terenciano).- Guaracy (078/RS) – fundado em 10/6/1960 no Ginásio São Tiago, Farroupilha pelo Irmão Sérgio Fassina. Em 1964 assumiu a Chefia do Grupo o Irmão Dionysio Tonial. Existe até os dias de hoje.- Pio XII (077/RS) – fundado em 03/6/1961 no Colégio Marista Pio XII, Novo Hamburgo pelo Irmão Mário Ervino Puhl. Funcionou até 1981.- Tangará – Fundado pelo Irmão Laurindo Viacelli, funcionou em 1964 e 1965 no Colégio São José (Porto Alegre – RS).- São Luiz (093/RS) – funcionou no Colégio Marista São Luís, Santa Cruz do Sul, teve a participação dos Irmãos Lauro Neuvald, Dante Brugalli e Casildo Klein.
Há outros três grupos que sobre os quais não foram identificados os nomes, mas vela sua inclusão nesta relação. O primeiro funcionou no Colégio São José, em Camaquã. Teve a participação do Irmão Nelson Sabadin (Irmão Silvério Davi). O segundo no funcionou no Colégio Marista São Francisco, em Rio Grande e teve a participação do Irmão Delfino Marcos (Selvino Tolotti). Um outro foi fundado no Colégio Paranaense, no Paraná, nos anos de 1962 à 1964 pelo Irmão Ruben Korb.
Em Santa Catarina:- Pindorama – fundado pelo Irmão Alexandre Câmpara (Irmão Diogo), em 3/9/1960, no Colégio Aurora, em Caçador, também contou com a participação do Irmão Antônio Girardi. Existe até os dias de hoje.- Tangará – fundado no Colégio Marista, em Criciúma.- John Kennedy – fundado no Colégio Marista São Bento, em São Bento do Sul.
Atualmente, no Rio Grande do Sul, existem três Grupos Escoteiros em Escolas Maristas:- Tupã-Ci, no Colégio Marista Rosário - Porto Alegre (RS)- Brownsea, no Colégio Marista Assunção - Porto Alegre (RS)- Marista Irmão Dionysio Tonial, no Instituto Marista Graças - Viamão (RS)
Em julho de 2007, realizou-se em Curitiba – PR o II Maristaba, reunindo sete Grupos Escoteiros de Escolas Maristas do Brasil. O acampamento contou com a participação de 220 pessoas, entre Lobinhos, Escoteiros, Seniores, Guias, Pioneiros, Escotistas e Dirigentes dos mais diversos grupos de escoteiros.Certamente outros Irmãos devem ter atuado nestes ou talvez em outros Grupos Escoteiros de Escolas Maristas, dos quais ainda não temos conhecimento. Para ajudar o autor a compor este resgate envie informações sobre fatos, dados referentes a estes e outros Grupos Escoteiros, fotografias ou mesmo indicar fontes de pesquisa que possam nos auxiliar a resgatar e registrar esta bela história.

Fonte: Revista da Província Marista do Rio Grande do Sul – Porto Alegre – RS
Ano 10 – número 36 – Primeiro semestre de 2010

Texto: Lourival Francisco dos Santos Junior, autor do livro “Escoteiros de Tupã-Ci – 60 Anos Cultivando Um Ideal”, publicado em 2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário