quarta-feira, 20 de junho de 2018

A programação da reunião semanal da Alcateia no dia 15 de junho movimentou os Lobinhos

Mais de 20 Lobinhos estiveram presentes na reunião semanal da Alcateia realizada no Grupo de Escoteiros Bororós. Destaque para o excelente número de Velhos Lobos, muitos
deles pais dos jovens. 


Entusiasmados com a programação oferecida na ensolarada tarde de sábado, dia 15 de junho, os Lobinhos e Lobinhas demonstraram estar com os "olhos e ouvidos abertos" durante o Jogo do Kim.

Os integrantes da Matilha Vermelha observam atentos os
objetos dispostos. 

... e após fazem o registro por escrito para logo em seguida
apresentar aos demais integrantes da Alcatéia.




Após ouvirem atentos as explicações sobre como fazer e qual
a finalidade do Nó Direito os Lobinhos partiram para
a prática. 

A História do Kim

Extraído do livro "Escotismo para Rapazes", de Lorde Baden-Powell.
Palestra de Bivaque Nº1 - "As aventuras de Kim"

Ilustração feita por B.P. e que ilustra
As aventuras de Kim, na obra
Escotismo para Rapazes. 


“Um bom exemplo daquilo que um Escoteiro pode fazer encontra-se na história do Kim, da autoria de Rudyard Kipling, que também escreveu O Livro da Jângal, traduzido no Brasil por Monteiro Lobato”.

Capa do livro Km, de Rudiard Kipling


Kim, ou, para lhe darmos o nome completo, Kimball O’Hara, era filho de um sargento de um regimento irlandês da Índia. O pai e a mãe morreram-lhe quando era criança e ele ficou entregue aos cuidados de uma tia.
Por companheiros tinha só rapazes indígenas e pôde, assim, aprender a falar a língua deles e a conhecer todos os seus costumes. Ele e um velho sacerdote ambulante tornaram-se grandes amigos e juntos percorreram todo o norte da Índia. Um dia, Kim encontrou por acaso o antigo regimento do pai, em marcha, e quando fazia uma visita ao acampamento foi preso por suspeita de furto. Encontraram-lhe a certidão de nascimento e outros documentos e o pessoal do regimento, vendo que ele lhe pertencia, tomou conta dele e mandou-o educar. Mas, todas as vezes que conseguia ir passar férias fora, Kim vestia-se à moda indiana e andava entre os indígenas como se fosse um deles.
Passado tempo conheceu certo Lurgan, negociante de joias antigas e de curiosidades, o qual, devido ao conhecimento que tinha dos indígenas, pertencia aos serviços de informação governamentais.
Este homem, descobrindo que Kim conhecia tão bem os hábitos e costumes indígenas, viu que ele poderia vir a ser um elemento valioso dos serviços de informação. Deu-lhe por isso lições sobre a maneira de observar e fixar pequenos pormenores, coisa muito importante na preparação de um explorador.

Preparação de Kim
Lurgan começa por mostrar a Kim uma salva cheia de pedras preciosas de variedades diferentes. Deixou-lhes ver durante um minuto, depois as cobriu com um pano e perguntou-lhe quantas e que qualidade de pedras vira. A princípio Kim não conseguia lembrar-se senão de algumas, e não sabia descrevê-las com exatidão, mas com alguns ensaios não tardou há fixar tudo muito bem. E o mesmo se fez com muitas espécies de objetos.
Por fim, depois de ter aprendido muitas outras coisas, Kim foi nomeado agente do serviço secreto, e recebeu uma senha secreta – a saber, um medalhão ou distintivo para trazer ao pescoço e uma curta frase que, dita de certo modo, indicava que ele pertencia ao serviço.

Kim nos Serviços Secretos

Uma vez que Kim viajava de comboio encontrou um indígena que estava muito ferido na cabeça e nos braços. Explicou ele aos outros passageiros que tinha caído de uma carroça quando se dirigia para a estação. Mas Kim, como bom escuta, notou que os ferimentos eram fundos e não apenas esfoladelas, como seriam se tivesse caído do carro, e não o acreditou.
Enquanto o homem apertava a cabeça com uma faixa, Kim reparou em que ele trazia um medalhão como o seu, que por isso lhe mostrou. O homem introduziu logo na conversa algumas palavras secretas e Kim respondeu com os devidos termos. O desconhecido retirou-se depois com Kim para um canto e explicou-lhe que estava a desempenhar uma missão secreta, e fora descoberto e perseguido por inimigos que quase o mataram. Provavelmente sabiam que ele ia no comboio e, portanto, haviam de telegrafar aos amigos ao longo da via férrea a preveni-los da sua ida. Precisava comunicar certa informação a um oficial da polícia e evitar que os inimigos o apanhassem, mas não sabia como havia de consegui-lo, se estes estivessem já prevenidos da sua vinda. Kim resolveu-lhe o problema.
Há na Índia muitos mendigos sagrados que vagueiam pelo país. São tidos por muito santos e toda a gente os ajuda e lhes dá esmolas e de comer.
Andam quase nus, cobrem-se de cinza e pintam na cara certos sinais. Kim lembrou-se, por isso, de disfarçar o homem de mendigo. Para isso, misturou farinha e cinza que tirou de um cachimbo, despiu o amigo e esfregou-o todo com a mistura. Também lhe aplicou nas feridas, de modo que estas não se notavam. Finalmente, com o auxílio de uma pequena caixa de tintas que trazia consigo, tacou-lhe na testa os sinais apropriados, e puxou-lhe o cabelo para baixo, para lhe dar o aspecto desgrenhado e hirsuto do de um mendigo e cobriu-lhe de pó, de modo a que a própria mãe não seria capaz de reconhecer o disfarçado.
Daí a pouco chegaram a uma grande estação. No cais descobriram o oficial da polícia a quem se devia fazer a comunicação. O mendigo disfarçado foi de encontro ao oficial, que o descompôs em inglês. O mendigo respondeu-lhe com um rosário de insultos na língua indígena, no meio dos quais introduziu as palavras secretas. O oficial logo percebeu por elas que o mendigo era um agente. Fingiu que o prendia e levou-o para a esquadra policial, onde lhe pôde falar à vontade e ouvir o que ele tinha a dizer-lhe.
Mais tarde Kim conheceu outro agente dos serviços – indígena educado – e pôde prestar-lhe valioso auxílio na captura de dois oficiais que faziam espionagem.

“Estas e outras aventuras de Kim merecem bem ser lidas, porque mostram quais os valiosos serviços que um jovem explorador pode prestar ao seu país em ocasiões de emergência, se estiver devidamente preparado e for suficientemente inteligente.”

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Registro fotográfico da reunião da Alcateia na tarde de sábado, dia 16 de junho

O tempo bom e o calor do sol contribuiu para o sucesso
da programação realizada com os Lobinhos. A Bandeira,
Oração, Inspeção e Avisos teve início pontualmente às 14 horas
com a solenidade realizada em frente ao mastro externo. Entusiasmados
com a energia dos Lobinhos os Velhos Lobos se esmeraram
na realização dos jogos e brincadeiras. Na programação,
a revisão da história Os Irmãos de Mowgli.

Muitos pais permaneceram na sede ao longo da tarde. Juntos estenderam
as barracas no sol e deram início a organização do almoxarifado e
a continuação da limpeza do patio. 

As portas da sede do G.E. Bororós se abrem para receber os novos integrantes da Alcatéia

O dia 02 de junho de 2018 ficará marcado na história do Grupo de Escoteiros Bororós. Após um período sem atividades com os jovens, a sede localizada no número 990 da Rua Max Padaratz, junto ao Parque Municipal das Águas,  abriu suas portas para receber os pais e quinze meninos e meninas com idade entre 6,5 e 10 anos para a formação da Alcateia.
Reunião com os pais e dirigentes realizada na sede
na tarde do dia 02 de junho. 

Solenidade de hasteamento da Bandeira Nacional
na sala da Alcateia. 



         O frio do dia não impediu a realização da programação especial com os futuros Lobinhos. O hasteamento da Bandeira Nacional foi realizado no interior da sede e após a solenidade os pais e dirigentes se reuniram com o titular do 18º Distrito Escoteiro. Na oportunidade Cláudio Madalozzo falou sobre a organização do Escotismo, com destaque a União dos Escoteiros do Brasil (UEB), que possui sua sede em Curitiba, e da UER-RS, com sede em Porto Alegre.





         Em relação ao registro provisório do Grupo junto a UEB-RS, o titular da 18ª Coordenadoria Regional orientou que seja realizada uma Assembleia de Grupo. Na oportunidade deverão ser eleitos os integrantes da comissão, pré-requisito para o registro provisório. 

Comissão recebe pais e integrantes do 18º Distrito Escoteiro

Os trabalhos para a retomada das atividades com os jovens no Grupo de Escoteiros Bororós tiveram início no final do ano passado. Os integrantes da comissão deram inicio a limpeza e organização da sede que ficou fechada por mais de três anos. O convite aos jovens com idade para participar do Ramo Lobinho ocorreu durante visita de dois membros da comissão nas escolas.

Escotista Cláudio Madalozzo, titular do 18º Distrito Escoteiro
na reunião organizada pela comissão para reabertura do grupo
com pais e pessoas interessadas.


         No dia 14 de maio, véspera do 41º aniversário de fundação do 105º G.E. Bororós, foi realizada uma reunião com os pais no Salão Nobre do Colégio Estadual Antônio Scussel. Na oportunidade os Escotistas Cláudio Madalozzo, Natalino e Leda, coordenador do 15º Distrito, e assistentes dos Ramos Escoteiro e Lobinho, respectivamente, falaram sobre o movimento Escoteiro e orientaram quanto à retomada das atividades.

         Ao final da reunião ficou agendado o dia 02 de junho para um novo encontro e inscrição dos jovens para o Ramo Lobinho. 

segunda-feira, 8 de abril de 2013


União dos Escoteiros do Brasil
Região do Rio Grande do Sul
105º Grupo de Escoteiros Bororós
Edital de Convocação
O presidente do 105º Grupo de Escoteiros Bororós, no uso das atribuições que lhe confere os Estatutos Sociais, convoca os integrantes da diretoria, escotistas, pais e demais associados, para a Assembleia Geral Ordinária. A assembleia será realizada no dia 12 de abril, às 18 horas, na sede social da entidade, localizada no número 990 da Rua Max Padaratz, Bairro Industrial, na cidade de Getúlio Vargas.
Ordem do dia:
- Apresentação do relatório da executiva e aprovação do balanço referente ao exercício 2012.
- Eleição da nova diretoria da entidade para o triênio 2013 – 2016;
- Assuntos de interesse da entidade.
Getúlio Vargas RS, 02 de abril de 2013.
Darcy Vicente Juppen
Presidente

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Filatelia - Algumas peças comemorativas do centenário do Movimento Escoteiro

CENT. ESCOTISMO - GROENLÂNDIA/2007

CENT. ESCOTISMO - IRLANDA

BLOCO S.EUROPA/CENT. ESCOTISMO - PORTUGAL

SÉRIE EUROPA-CENT. ESCOTISMO - FAROÉ/2007